Câncer de Estômago - Clínica Cancian - Porto Alegre

O que é o Cãncer de Estômago?

Os tumores do estômago se apresentam, predominantemente, na forma de três tipos histológicos: adenocarcinoma (responsável por 95% dos tumores), linfoma, diagnosticado em cerca de 3% dos casos, e leiomiossarcoma ou GISTs, iniciado em tecidos que dão origem aos músculos.

O pico de incidência se dá em sua maioria em homens, por volta dos 70 anos. Cerca de 65% dos pacientes diagnosticados com câncer de estômago têm mais de 50 anos. 

Prevenção

Para prevenir o câncer de estômago é fundamental seguir dieta balanceada, composta de vegetais crus, frutas cítricas e alimentos ricos em fibras, desde a infância. Ácido ascórbico (vitamina C) e betacaroteno (precursor da vitamina A), encontrados em frutas e verduras frescas, agem como protetores contra o câncer de estômago, porque evitam que os nitritos (conservantes encontrados em alimentos industrializados) se transformem em nitrosaminas. Além disso, é importante o combate ao tabagismo e a diminuição da ingestão de bebidas alcoólicas.

Sintomas

Não há sintomas específicos do câncer de estômago. Porém, alguns sinais como perda de peso e de apetite, fadiga, sensação de estômago cheio, vômitos, náuseas e desconforto abdominal persistente devem levantar a suspeita de que existe algum problema no estômago e indicar a realização de uma investigação.

Massa palpável na parte superior do abdômen, aumento do tamanho do fígado e presença de íngua na área inferior esquerda do pescoço, bem como nódulos ao redor do umbigo podem indicar doença mais avançada.

O vômito com sangue ocorre em cerca de 10 a 15% dos casos de câncer de estômago. Também podem surgir sangue nas fezes, fezes escurecidas, pastosas e com odor muito forte (indicativo de sangue digerido). 

Diagnóstico

A endoscopia é o exame mais utilizado na investigação inicial do câncer gástrico, pois além de permitir a avaliação visual da lesão, também permite a realização de biópsias. Nesse exame, um tubo flexível de fibra ótica, ou uma microcâmera, é introduzido pela boca e conduzido até o estômago. O exame é realizado sob sedação e com anestesia da garganta, para diminuir o desconforto. 

Tratamento

O tratamento cirúrgico, retirando parte ou todo o estômago, além dos linfonodos próximos, é a principal alternativa terapêutica e a melhor chance de cura. Para determinar a melhor abordagem cirúrgica, deve-se considerar a localização, tamanho, padrão e extensão da disseminação , além do tipo histológico do tumor. A radioterapia e a quimioterapia são consideradas tratamentos complementares, feitos para  diminuir a chance de recidiva.