Câncer de Colo Uterino - Clínica Cancian - Porto Alegre
 

Fatores de Risco do Câncer do Colo Uterino

O câncer de colo do útero, também chamado de câncer cervical, tem no HPV (papilomavírus humano) o mais importante fator de risco. O HPV causa verrugas genitais (lesões benignas), lesões precursoras ou pré-malignas chamadas de neoplasias intraepiteliais cervicais (NIC); até o câncer de colo uterino propriamente dito. Outros fatores que desempenham um papel importante no desenvolvimento do cancer nessa região são: tabagismo, infeção pelo HIV, alimentação pouco saudável, início precoce da atividade sexual e múltiplos parceiros, entre outros.

Prevenção

A prevenção primária do câncer do colo do útero está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo papilomavírus humano (HPV), que ocorre através do contato sexual. Por essa rezão o uso de preservativos (camisinhas) durante o ato sexual é tão importante. Entretanto áreas onde o preservativo não cobre, como a vulva e região perineal, não estariam protegidas do contato com o HPV. A partir de 2017, o Ministério da Saúde estendeu a vacina contra o HPV para meninas de 14 anos e meninos de 11 a 14 anos de idade (sim, meninos!! Pois além do cancer de colo uterino, o HPV também está relacionado a outros cânceres.

Além disso, meninos são portadores assintomáticos e sua vacinação pode prevenir o câncer de colo uterino nas suas futuras parceiras).  Esta vacina protege contra os subtipos 6, 11, 16 e 18 do HPV. Os dois primeiros causam verrugas genitais e os dois últimos são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

Em complementação à vacinação, o exame preventivo (Papanicolau) deve ser realizado em todas as meninas que já tenham atividade sexual (a idade preconizada para o início do exame é 25 anos de idade).

Sintomas

Nas fases iniciais esse câncer costuma ser assintomático. Com a sua evolução ele pode causar sangramento (geralmente após a relação), dor e corrimento vaginal.

Tratamento

Entre os tratamentos mais comuns para o câncer do colo do útero estão a cirurgia, a radioterapia e quimioterapia. O tipo de tratamento dependerá do estadiamento da doença, tamanho do tumor e fatores pessoais, como idade e desejo de ter filhos. Quanto mais precocemenge detectado, menos invasivo e com menos sequela é o tratamento. O tratamento sempre deve ser individualizado e realizado por um especialista.