Quem pode fazer uma lipoescultura? - Clínica Cancian - Porto Alegre

A lipoescultura é uma cirurgia plástica que envolve a combinação das técnicas de lipoaspiração e lipoenxertia.

Ou seja, a cirurgia usa a gordura em excesso removida através da lipoaspiração do próprio paciente, para “esculpir” o corpo de modo a preencher, aumentar e modelar as estruturas flácidas, depressões ou áreas com pouco tecido adiposo.

Para aqueles que sonham com o corpo modelado e livre das gorduras localizadas, a lipoescultura é uma maneira de conquistar o corpo tão desejado. Mas por se tratar de uma cirurgia complexa, os pacientes têm muitas dúvidas a respeito do procedimento – principalmente no que se refere ao público indicado.

Quem pode fazer uma lipoescultura?

Para responder a essa pergunta, vamos explicar melhor o andamento da cirurgia, seu pré e pós operatório e como estes influenciam na indicação.

Boa leitura!

Como é feita a Lipoescultura?

Apesar de boa saúde e da prática de exercício físico, algumas pessoas podem, ainda, ter um corpo com contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada. Estas áreas podem ocorrer devido a características genéticas, à falta de controle do peso ou de atividade física.

Nesse cenário, a lipoaspiração pode ser usada para tratar estes acúmulos de gordura em várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, papada, cintura, costas, parte medial do joelho, axila entre outras.

Em alguns casos, a lipoaspiração é realizada isoladamente, em demais casos, ela é usada junto a outra cirurgia plástica como a lipoenxertia, a abdominoplastia e até mesmo a redução de mama.

Dito isso, a cirurgia é feita a partir de cânulas que são introduzidas na pele e chegam até o tecido adiposo (camada que vem logo após a pele), de onde aspiram a gordura localizada. Os pontos em que são inseridas as cânulas variam de acordo com a anatomia do paciente e a técnica usada pelo cirurgião.

Em seguida, a gordura é tratada e enxertada, através de seringas muito finas, em um outro local que necessite de preenchimento devido à falta de tecido gorduroso, dando volume e nova forma a esse local – sempre conforme a necessidade e a vontade do paciente.

O procedimento dura, em média, duas horas e pode ser feito com anestesia geral, peridural ou local, dependendo da quantidade de regiões abordadas.

Pré-operatório

Como toda e qualquer cirurgia, a lipoescultura deve ser precedida de alguns detalhes.

Esses detalhes consistem, principalmente, em uma indicação correta do cirurgião plástico a respeito da cirurgia – esclarecimento ao paciente ou seu responsável legal sobre as possibilidades de resultados e os riscos existentes no procedimento. E também, a respeito da importância dos cuidados no pré-operatório e da necessidade do acompanhamento do profissional.

Por isso que, no período que antecede a cirurgia, o paciente deve seguir algumas medidas como: suspender medicações que possam prejudicar a operação (principalmente comprimidos que contenham ácido acetilsalicílico, por exemplo), suspender o tabagismo de 30 a 60 dias de antecedência e, em relação à alimentação, alguns alimentos devem ser evitados pela interferência no sangramento – mas todas essas medidas serão detalhadas pelo médico.

No pré cirúrgico imediato, é indicado ao paciente fazer jejum de oito horas. O cirurgião responsável pode solicitar exames de cardiologia, sangue, radiografia de tórax e ultrassom da região ou doppler – um exame que permite visualizar os vasos sanguíneos das pernas para verificar possíveis trombos na corrente sanguínea.

Pós-operatório

Até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são enfrentadas pelo paciente. Assim, edemas (inchaço), “manchas” de acúmulo de sangue no tecido subcutâneo, hipersensibilidade de algumas áreas e insensibilidade de outras, são comuns a todos os pacientes.

Cada paciente apresenta estes fenômenos com maior ou menor intensidade e se resolvem, geralmente, em 21 dias. Nesse período, principalmente no pós-operatório imediato, é comum sentir alguns desconfortos, mas o médico pode prescrever analgésicos e antibióticos para prevenir possíveis dores e infecções.

A colocação da malha de compressão ou bandagens elásticas também são indicadas – além do uso da cinta modeladora para auxiliar na modelação da área e reduzir o inchaço pós-cirúrgico.

É bastante comum que as pessoas se assustem com a aparência do local nos primeiros dias. Essa situação pode ser um pouco incômoda devido ao processo inflamatório que ocasiona os edemas, mas pode ser resolvida e amenizada com algumas técnicas e cuidados específicos.

A fisioterapia pós-operatória, por exemplo, é um tratamento que pode iniciar após o 3º dia da lipoescultura com a terapia manual e também com as fitas elásticas (taping), seguido de orientações em relação à postura e exercícios respiratórios. A cada dia pode-se adicionar uma técnica diferente ao tratamento, indo de acordo com a necessidade e a avaliação feita pelo fisioterapeuta.

Quem pode fazer a Lipoescultura?

A lipoescultura é indicada para pacientes com acúmulo de gordura localizada e áreas que necessitem de preenchimento. É preferível que estas pessoas estejam dentro de seu peso ideal para que os resultados sejam mais satisfatórios e a cirurgia com menos riscos.

A grosso modo, a lipoaspiração pode ser feita em quase todas as pessoas, mas existe um limite definido que pode ser lipoaspirado e, portanto, não deve ser usada como método único para perder peso.

Mas também deve-se levar em conta outros pontos importantes, como a idade do paciente (maior de 18 anos), seu índice de massa corporal, a condição de sua saúde e seu estilo de vida (fumante ou não, por exemplo). A hipertensão e o diabetes também podem ser um risco cirúrgico e devem sempre ser informados ao seu médico.

É fundamental ressaltar que a lipoescultura não é um tratamento para a obesidade, nem visa o emagrecimento. Ou seja, não substitui a prática de exercícios físicos e os bons hábitos alimentares. Pacientes que se exercitam e mantêm uma rotina saudável, mas que não conseguem eliminar algumas áreas de gordura e preencher outras, são os melhores candidatos a este procedimento.

Escolha do cirurgião plástico

Para finalizar, lembramos que o que define o andamento e desenvolvimento da cirurgia e seus resultados – bem como seu processo de cicatrização – é o profissional que vai fazer a operação e o local onde será realizado o procedimento.

Para fazer uma lipoescultura é necessário, antes de tudo, consultar um especialista em cirurgia plástica. Garantir que o médico seja cirurgião plástico, com seis anos de Faculdade de Medicina mais dois anos de residência em cirurgia geral e três anos de residência em cirurgia plástica, com título de especialista registrado no CRM (Conselho Regional de Medicina) e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP.

CONHEÇA O DR LUCAS CANCIAN

Depoimentos

“Só tenho a agradecer pelo Dr. Lucas por todo empenho e dedicação ao meu caso.”
Ursula Baldi

“Depois de consultar com diversos outros médicos, optei pelo Dr. Lucas pela segurança transmitida na consulta. Uma das decisões mais acertadas… Ele esclareceu todas as minhas dúvidas e o melhor é que o procedimento ficou super natural, sem falar na atenção dele no pós-operatório. Super indico! Profissional excelente!”
Márcia Gomes Azambuja

“O Dr. Lucas é sempre muito atencioso e sincero em relação as minhas dúvidas sobre procedimentos. Muito cauteloso e responsável, me atende sempre com calma. Tem um senso estético muito apurado, além de se preocupar com o resultado e a satisfação do paciente. Super indico!”
Renata Troggian

“Me senti muito confortável no consultório, profissional atencioso, esclareceu minhas dúvidas e os tratamentos foram exatamente como eu gostaria, indico 100%”

Heloisa Rocha

Agende uma consulta agora

8 + 1 =